Blog

Eleição de síndico: fui eleito síndico, e agora?
Administração de condomínios      02/05/2019

Eleição de síndico: fui eleito síndico, e agora?

Em um condomínio existem responsabilidades de síndico, subsíndico e de zelador. Muitas dessas delegações são confundidas, por isso, é preciso saber exatamente o que será obrigação do síndico e não dos demais.

 

Quais são os requisitos para participar da eleição de síndico?

 

Trabalho é o que não falta para quem assume o cargo de síndico. A primeira responsabilidade é manter o condomínio em ordem, com todas as áreas sendo devidamente cuidadas e com as contas em dia.


O Código Civil diz, no artigo 1347, que qualquer cidadão maior de 18 anos poderá ser síndico, condômino ou não, sendo pessoa física ou jurídica para um prazo que não seja superior a dois anos.


Mas como participar da eleição de síndico e, efetivamente, se tornar um?  O primeiro requisito é que a pessoa possua tempo disponível para desenvolver o cargo com qualidade, pois muitas horas do dia certamente serão destinadas para as demandas internas e externas do condomínio.  


Também é imprescindível que o síndico tenha conhecimentos sobre administração, direito, contabilidade e recursos humanos, tendo em vista que ficará responsável pela contratação de prestadores de serviços em diversas áreas, bem como na produção de atas das assembleias e convocações.  


O candidato também deve estar em dia com os pagamentos, demonstrando responsabilidade, além de conhecer a convenção e regimento interno do condomínio.

 

Fui eleito, e agora? Quais as minhas obrigações?


Como o profissional representa os demais condôminos, o síndico deve sempre prezar pela consciência coletiva.


Por isso, após a eleição de síndico, é preciso entender algumas das obrigações para o escolhido. Separamos algumas das principais. Confira!

 

Incentivar a boa convivência


Essa é uma função importante quando se trata de gestão de condomínios. A convivência em condomínios, por envolver pessoas diferentes e com temperamentos diferentes, precisa de diretrizes especiais para ocorrer de forma saudável.


O papel do síndico é muito importante. Ele é a pessoa de referência para os demais moradores e deve atuar como mediador de conflitos, prezando pelo bom senso e respeito às cláusulas estabelecidas na convenção vigente, principalmente quando já houve troca de síndicos.


Para isso, siga algumas dicas:


Tenha regras definidas. As regras de convivência precisam ser claras e objetivas, para que não haja risco de dupla interpretação. É muito importante manter normas relativas ao barulho e animais de estimação, por exemplo.


Disponibilize o regulamento interno nas áreas comuns. Ele deve estar disponível para que todos os moradores e visitantes possam consultá-lo sempre que possível.


Incentive o diálogo entre os condôminos. Quando surgir um impasse ou problema, a conversa é sempre a melhor saída. Incentivando a conversa e o respeito às regras de convivência estabelecidas, o síndico desempenha um papel fundamental encorajando os vizinhos a manterem um bom relacionamento e evita desgastes desnecessários.

 

Resolução de conflitos


Por melhor que seja a gestão do síndico, conflitos vão ocorrer. Se você participou da eleição de síndico e foi eleito, é preciso ter em mente que conflitos irão acontecer.


Entretanto, é papel do síndico gerenciá-los de forma a resolvê-los da melhor maneira possível, sem que haja danos aos demais moradores e atuando pelo bem-estar harmonioso e pela convivência tranquila.


Para isso:

  • Se mantenha imparcial para solucionar e mediar desavenças;
  • Conheça os condôminos, de forma que essa relação de proximidade seja adquirida com o tempo, mas que seja gratificante;
  • Saiba ouvir antes de tomar atitudes ou medidas;
  • Seja transparente. Lembre-se que a sua figura deve ser de pessoa confiável e com autoridade.

 

Seguindo essas dicas, por mais simples que seja, a resolução de conflitos se dará da melhor maneira.


Leitura recomendada: Desconto de pontualidade é ilegal?

 

Prestação de contas

 

Uma das atribuições que os síndicos têm é a prestação de contas do condomínio. É uma ação muito importante para que se mantenha, sempre, a transparência para que todos saibam o que está sendo gasto e onde está.


Geralmente as prestações de contas devem ser feitas e aprovadas anualmente, em uma das assembleias do condomínio, conforme prevê o Código Civil. Em parceria com a administradora de condomínios do edifício, você deve elaborar um demonstrativo com todas as despesas que ocorreram durante esse ano.


Devem ser apresentados os gastos, como os pagamentos dos funcionários e as contas de água e energia elétrica e também os gastos variáveis, como por exemplo, o investimento em novos equipamentos de segurança.

 

Organização de assembleia


Sendo assim, para minimizar possíveis situações indesejáveis quanto à tudo explicado nos tópicos acima, é preciso entender que todo síndico também é responsável pela organização da assembleia.


O que é isso e como funciona? É simples! Consiste em uma reunião onde alguns pontos são discutidos.


Antes de a reunião ocorrer, é preciso tomar alguns cuidados. É necessário preparar a pauta, ou seja, definir quais assuntos serão discutidos na assembleia. Além disso, a convocação deve estar em lugares estratégicos e visíveis.


Os condôminos devem ter acesso à pauta previamente, para poderem refletir sobre os temas em discussão, elaborarem perguntas e trocarem ideias.


Durante a assembleia é preciso coordenar a reunião. É necessário delimitar o tempo que será concedido à discussão de cada tópico previsto na pauta, além de delimitar quanto tempo cada morador terá para falar caso queira participar ativamente da discussão de ideias.


A ata de reunião também é um documento importante. Devem ser registrados data, horário e local da realização da assembleia, bem como pessoas que estiveram presentes, duração da reunião, pontos que foram discutidos e o que foi definido durante o encontro


Ao final da reunião, o síndico pode abrir um espaço para conversar individualmente com moradores que tenham ficado com dúvidas e reforçar a importância da participação de todos na assembleia de condomínio.


Conforme mostramos ao longo do texto, após a eleição de síndico, muitos pontos devem ser estudados, além da necessidade de entender que ser síndico é administrar um condomínio e ter obrigações. Para saber mais como administrar bem um condomínio, esteja sempre atento ao nosso blog!

Newsletter

Cadastre-se abaixo para receber nossa newsletter.